Viagem pelas histórias da América Latina

Shares

A América Latina é repleta de culturas, que se manifestam nas cores, músicas e histórias que cada pedacinho de nossa região possui. Passadas de geração em geração, as histórias contam as visões de mundo, discutem as relações sociais, sentimentos pessoais e interpretações de fenômenos naturais e da origem do universo.

O livro: “Viagem pelas histórias da América Latina” (Companhia das Letrinhas, 2022), escrito por Silvana Salerno e ilustrado por Biry Sarkis, apresenta 22 narrativas, cada uma de um país diferente da América Latina e de seus povos originários. Os textos, recomendados para leitores a partir dos nove anos de idade, além de encantadores, podem ser utilizados em diversas atividades para apresentar ou discutir temas relacionados com as ciências da natureza!

Histórias como: “Tunshu-Palpa, a Apu da Aldeia” (PERU) e “Como surgiu a noite” (República Dominicana) apresentam a visão de seus povos originários a respeito da origem do universo e de fenômenos naturais, como a formação do dia e a noite. Além disso, as histórias “O encantamento do boto” (VENEZUELA), “Quetzal é imortal” e “A tartaruga e o Diabo” são interessantíssimas para apresentar não apenas as visões parecidas que muitas culturas possuem – a história do boto venezuelano é muito semelhante à lenda do boto contada no Brasil: a diferença é que na cultura venezuelana, o boto assume a figura de uma mulher encantadora que atrai os homens para o fundo do rio –, mas também as características de fauna dos países de nossa região, entre outros temas.

Sugestões de aplicação em sala de aula

Como sugestão de uso em sala de aula em uma aula sobre astronomia, inicie a sua prática com perguntas para levantar o conhecimento da turma sobre as visões de origem do universo (perguntas como “vocês sabem como o universo começou?” ou “como vocês explicariam a origem do universo?” ou ainda “vocês conhecem lendas ou histórias que contam a origem do universo?”). É esperado que informações sobre histórias da mitologia europeia ou nórdica apareçam — incentive os alunos a contar as histórias sobre o tema. Em seguida, divida os alunos em duplas e faça a leitura da história: “A criação do mundo” (p.27-30). Você pode pedir para que cada dupla faça a leitura em voz alta de um trecho escolhido por você.

Após a leitura, pergunte aos alunos as opiniões a respeito do texto, encaminhando a discussão para que percebam que a origem do universo é uma questão que é feita por toda a humanidade e que diferentes respostas à questão foram das ao longo da história – o que inclui a resposta promovida pelo conhecimento científico e a teoria do big bang. Se desejar, você pode apresentar materiais complementares a origem do universo a partir da visão científica, como vídeos, imagens e simuladores.

Por fim, como forma de avaliação, peça aos alunos que produzam materiais (como textos, imagens, infográficos) que relatem as diferentes visões de origem e de formação do universo e apresentem a perspectiva científica sobre o tema.

É importante destacar que a visão científica tem diferenças importantes a respeito de outras formas de conhecimento: a formulação, verificação e validação do conhecimento científico passa por etapas que não ocorrem em outras formas de conhecimento. Não deixe de comentar sobre essas diferenças em sua aula!

Neste modelo de aula, importantes competências da BNCC são desenvolvidas, como a compreensão a respeito das ciências da natureza como construção humana, a compreensão sobre conceitos fundamentais e estruturas explicativas das Ciências da Natureza e explicar fenômenos relativos ao mundo natural. Essas competências compreendem o ensino fundamental e podem ser aprofundadas no ensino médio.

…..

Este texto é fruto da parceria de criação de conteúdo com o projeto “Companhia na Educação”, da editora Companhia das Letras. O projeto cede materiais literários para a criação de conteúdos educacionais que podem ser utilizados por professores e instituições de ensino de todo o país. O texto não foi revisado ou endossado pela editora.

Clique aqui ou na imagem abaixo para acessar outros conteúdos frutos da parceria.

. . . . .

Shares

Mais do ccult.org

Admiramos, mas não entendemos: a relação do brasileiro com a ciência

[Este texto foi originalmente publicado na página do ccult.org no Medium.] Em 2018, 3M State Of Science Index trouxe alguns …

Sejam bem-vindas, calculadoras!

Máquinas de calcular não são uma novidade no mundo. Desde a invenção do ábaco pelos chineses – provavelmente 600 a. …

Não é milagre, apenas decidimos ir — um olhar sobre a exploração espacial

Eu sou daqueles que acredita que textos e livros mudam pessoas. Ou melhor: textos ampliam horizontes, apresentam novas formas de …

Transformando o smartphone em um laboratório de ciências

Smartphones possuem sensores muito úteis para aulas expositivas ou práticas em ciências da natureza. Aplicativos podem ser utilizados para obter …

Quando o ensino de ciências foi sequestrado pela maldade: alguns pontos sobre o ensino de ciências durante o nazismo

Uma falácia muito difundida fora — e em alguns casos, dentro — do ambiente educacional é aquela que diz que …

Teorias científicas não são leis mal-acabadas

O filósofo austríaco Ludwig Wittgenstein foi um dos grandes nomes da filosofia no século XX. Seus escritos, publicados em duas …