Mapeando as discussões sobre ciência no Twitter

Shares

Criada em 2017, a hashtag é um marco na comunicação na internet. A ideia é simples: marcar assuntos ou temas específicos em uma postagem e, com isso, conseguir reunir diferentes fontes de conteúdo sobre eles. No Twitter — site onde as hashtags ganharam vida e são utilizadas até hoje —, diversas hashtags sobre ciência são alimentadas diariamente por cientistas, jornalistas, professores, divulgadores científicos e entusiastas da ciência. A pioneira foi a #Twitciência, e hoje temos assuntos segmentados, como a #AstroThreadBR, #AstroMiniBR, para assuntos sobre astronomia ou a #MinhaCiênciaEm1Tweet para cientistas e pesquisadores descreverem suas pesquisas.

Hashtags podem viralizar e trazer mais pessoas para o assunto. Ou serem utilizadas como fonte de pesquisa para cientistas que estudam as influências das redes sociais no comportamento humano dentro e fora delas, especialmente em disputas eleitorais.

O fato é que as hashtags são instrumentos interessantíssmos para acompanhar o alcance de um assunto dentro das redes sociais (embora o uso uso ainda seja mais comum no Twitter e no Instagram). Sites como o Keyhole e o próprio Twitter Analytcs permitem que qualquer pessoa monitore o alcance e a quantidade de perfis relacionados com uma hashtag específica, enquanto o perfil no Twitter @BotSentinel analisa se as hashtags são postadas por perfis reais ou foram programadas para fazer postagens em massa e contaminar os debates na rede social.

E para facilitar o acompanhamento das discussões em torno de um assunto ou de uma hashtag sobre ciência, é possível utilizar a nova plataforma criada pela agência de dados Volt Data Lab. Patrocinado pelo International Center for Journalists e com o apoio da Knight Foundation , o “Science Pulse” (ou “Pulso de Ciência”, em tradução livre) reúne milhares de perfis de cientistas, médicos, instituições de pesquisa, universidades, organizações de pesquisa ou de divulgação científica e permite que qualquer pessoa, ao acessar a plataforma, analise o que os cientistas estão publicando sobre temas de ciência. Para isso, basta acessar a plataforma neste endereço e acompanhar os assuntos discutidos, a popularidade de um determinado assunto ou hashtag ou ainda realizar a sua própria busca de assuntos.

O Science Pulse, por enquanto, está restrito a perfis no Twitter. Qualquer pessoa ou instituição pode sugerir um perfil para compor a curadoria da plataforma por meio deste formulário .

A iniciativa é interessante não apenas para jornalistas científicos que precisam localizar fontes para apurar as suas pautas. Também é importantíssima para dar visibilidade para cientistas que divulgam os seus trabalhos ou debatem os assuntos relacionados com a sua formação acadêmica em um ambiente diferente do ambiente científico, que possui regras e linguagem diferentes daqueles que outros setores da sociedade estão acostumados.

. . . . .

Para saber mais:

. . . . .

Shares

Mais do ccult.org

Saiu o Ig Nobel 2019

Há uma espécie de lenda urbana no meio científico, especialmente em quem atua na área de ciências exatas (e é …

Dicas de uso da realidade aumentada no ensino de ciências

É fato que a pandemia de COVID-19 forçou a entrada de inovações tecnológicas no ensino de ciências. A sala de …

Os problemas das anedotas científicas

A maçã é um dos pseudofrutos (frutos resultantes de uma só flor, como o caju e a pera) mais conhecidos …

Cesta Científica #6

Olá! Esta é a Cesta Científica, curadoria gratuita de conteúdos sobre a cultura científica e o ensino de ciências do …

O acesso aberto na ciência tem se tornado uma tendência

Há algum tempo, escrevi sobre o Sci-Hub e como o site estava contribuindo para uma revolução na ciência . Afinal, proporcionar o acesso aberto …

Editoras de periódicos da área médica adotam temporariamente o acesso aberto por causa da pandemia de covid-19

Submeter os resultados de uma pesquisa científica em qualquer área do conhecimento não é uma tarefa simples. Além de todo …