Da pesquisa à divulgação: ferramentas digitais para a gestão, acompanhamento e publicação de pesquisas científicas

Ao inventar o primeiro equipamento capaz de reproduzir textos em massa, Gutemberg mudou o mundo; algumas mudanças, como o aumento de pessoas que descobriram ter algum problema de visão — já que não conseguiam simplesmente enxergar o texto de forma clara — e o aumento de pessoas alfabetizadas, provavelmente foram involuntárias. Mas um dos maiores méritos na invenção da imprensa foi o aumento da velocidade de propagação de informações científicas entre pesquisadores de diferentes regiões da Europa.

Antes da invenção da imprensa (como explicado neste texto), os dados e resultados de uma pesquisa eram enviados a outros cientistas por carta. Assim, cada cientista teria que produzir um texto para cada destinatário, o que tornava todo o processo tedioso e demorado. Com a imprensa, várias cópias com o mesmo texto com os resultados ou teorias científicas poderiam ser distribuídas a mais pessoas, o que acelerava todo o processo de divulgação e de reprodução dos experimentos visando a confirmação ou a refutação dos resultados apresentados. E em pouco tempo, a impressão e o envio desses textos científicos se tornou um negócio com potencial econômico imenso, dando origem as primeiras editoras científicas.

De lá para cá, tivemos diversas revoluções tecnológicas, como a invenção das calculadoras, computadores e da internet, o que possibilitou, por um lado, o aumento da rapidez da obtenção e da troca de resultados de pesquisas e de conhecimentos entre os cientistas e, por outro, uma espécie de segregação econômica, visto que para ter acesso a determinados artigos, é necessário o pagamento de taxas nem sempre convidativas (os preços chegam a U$S 50 por texto) — do que impulsionou as iniciativas de acesso aberto na ciência (sem a cobrança de taxas para o acesso à artigos científicos) e da polêmica envolvendo o Sci-Hub.

…..

O surgimento das ferramentas digitais de pesquisa, escrita e divulgação alterou de forma decisiva a forma como as informações científicas são obtidas e compartilhadas, que podem ser categorizadas de acordo com os seus principais objetivos/aplicações. São elas:

  • Pesquisa: repositório de artigos ou de projetos de pesquisa; dados; referenciais teóricos e outras pesquisas em uma determinada área.
  • Análisecoleta de dados; análise estatística de dados; discussão dos resultados à luz de referenciais teóricos.
  • Escrita e gerenciamento de citações: editores de texto online ou offline; serviços de organização e de criação de citações dentro de normas técnicas.
  • Publicação online: publicação de resultados e de artigos online.
  • Divulgação científica: divulgação do trabalho científico para outros pares e para o público interessado; aumento de métricas e de citações de trabalhos científicos.
  • Avaliação e métricas de impacto: Qualis e fator de impacto de periódicos ou de artigos científicos; análise de dados e de citações provenientes de plataformas de dados e de redes sociais.

Os principais serviços em cada categoria descrita acima podem ser resumidos na imagem a seguir:

Panorama geral das ferramentas de gestão da pesquisa científica | Adaptado de sibi.usp.br

Dentre cada categoria, existem serviços que tradicionalmente são utilizados por pesquisadores de todo o mundo e aqueles que trazem alguma inovação ou melhoria, de modo que a seguinte classificação — sugerida pela Universidade de Cambridge — entre serviços tradicionais, modernos, inovadores e experimentais.

Ferramentas de descoberta (ou de pesquisa ou de levantamento teórico)

  • Tradicional

Web of Science — Base de dados multidisciplinar mantida pela Thomson Reuters que apresenta artigos científicos, trabalhos de eventos e patentes selecionados, permitindo a pesquisa por documentos e citações, fornecendo métricas para comparar citações de artigos, autores e revistas tais como fator de impacto, índice h, índice de imediaticidade, entre outros dados de alcance dos artigos. http://apps.webofknowledge.com/

Periódicos Capes — Portal brasileiro ligado ao governo federal, o Periódicos Capes permite a busca em milhares de periódicos nacionais e internacionais. Para alunos e professores de universidades vinculadas à CAFE, é permitido o acesso ao conteúdo completo das buscas, que inclui revistas de acesso fechado (ou seja, cujo acesso se dá por meio de pagamento de assinatura), além da criação de um espaço para criar uma “biblioteca” pessoal de artigos. — https://periodicos.capes.gov.br

  • Moderna

Google Scholar — Sistema de descoberta de artigos e trabalhos científicos gratuito mantido pelo Google, que também fornece métricas de citação.O serviço do Google também permite a criação de listas personalizadas de autores ou assuntos de artigos científicos para a consulta posterior. https://scholar.google.com.br/

  • Inovadora

Mendeley — Ferramenta gratuita de gestão de referências e citações, com direito à plugin para o Office que lista e adiciona automaticamente as referências catalogadas no programa para Windows ou nos aplicativos para Android e iOS. Também funciona como rede de conhecimento e permite armazenar e compartilhar documentos em PDF. https://www.mendeley.com/

  • Experimentais

Sparrho — Canal de novidades de pesquisa para manter-se atualizado e descobrir recomendações. https://www.sparrho.com/

Uthopia Docs — Ferramenta que permite explorar e conectar arquivos em PDF de artigos científicos relacionando o conteúdo por tema ou autoria, sempre em revistas de acesso aberto. — http://utopiadocs.com/

Ferramentas de análise

  • Tradicionais

SPSS — Software proprietário utilizado para análise estatística e também a mineração de dados. http://www-01.ibm.com/software/analytics/spss/

  • Modernas

rOpen Sci — Fornece acesso a dados científicos, de texto completo de artigos de revistas a repositórios de dados, incluindo métricas de impacto em tempo real. https://ropensci.org/

  • Inovadoras

Zooniverse — Plataforma colaborativa de pesquisa e de acesso aberto. https://www.zooniverse.org/

Hivebench — Permite planejar, publicar, rastrear, organiza e encontrar pesquisas a partir de uma única plataforma. https://www.hivebench.com/

  • Experimentais

rOpen Sci — Fornece acesso a dados científicos e ao conteúdo completo de artigos de revistas e de repositórios de dados. Além disso, possui uma interessante métrica de impacto em tempo real. https://ropensci.org/

IPyton — Ambiente computacional interativo que combina a execução de códigos e de programações, matemática, gráficos e imagens — http://ipython.org/notebook.html

Ferramentas de escrita e de gerenciamento de citações

  • Tradicionais

Microsoft Office — O mundialmente conhecido software de edição de texto está atualmente na versão 2019. Possui uma x; se você é estudante universitário, pode conseguir uma licença completa gratuita válida por quatro anos e 1 TB de espaço no OneDrive. Caso contrário, pode utilizar a versão web, que contém apenas as funcionalidades básicas, mas é gratuita. Os aplicativos para Android e iOS podem ser utilizados com a assinatura do Office 365, que além do acesso para cinco pessoas diferentes, libera 1 TB para cada usuário no OneDrive. — https://office.com

LaTeX — É um dos mais famosos editores de texto conhecidos pelo mundo acadêmico. Diferente de outros programas, o LaTeX tem como prerrogativa o uso de elementos textuais e de lógica para a edição dos textos elaborados com a ferramenta. Possui versão para desktop e mobile — https://sourceforge.net/projects/texstudio/

EndNote — Ferramenta de organização de referências e de citações. O acesso gratuito está disponível a alunos de universidades parceiras, como a USP, UFPR, UFRJ — https://access.clarivate.com/login?app=endnote

MORE — Ferramenta online de gerenciamento de citações acadêmicas mantido pela Universidade Federal de Santa Catarina. É uma alternativa para os órfãos do RefMe — http://novo.more.ufsc.br/

  • Modernas

GoogleDocs — Pacote de aplicativos do Google que funciona totalmente online diretamente no browser — https://docs.google.com

RefWorks — Ferramenta de gestão de referências e citações mantida pela Proquest por meio da interface Flow. Disponível a toda a comunidade da USP. http://flow.proquest.com

  • Inovadoras

Authorea — Editor colaborativo online e gratuito de pesquisas científicas. É possível ainda, dentro do Authorea, gerir e compartilhar documentos e revisar textos e papers. https://www.authorea.com/

Colwiz — Ferramenta de gestão de referências gratuita e online — https://www.colwiz.com/

  • Experimentais

Overleaf — Ferramenta online que permite escrever e publicar de modo compartilhado: criar, editar e publicar sua pesquisa, compondo com o WriteLateX, um serviço gratuito para criar, editar e compartilhar idéias científicas — https://www.overleaf.com/

DocEar — Permite a organização, a edição, a busca e o compartilhamento de artigos científicos. Possui add-on para o Word que auxilia na busca e na inserção de referências e de informações científicas no documento editado a partir do programa da Microsoft. — http://www.docear.org/

Ferramentas de publicação online

  • Tradicionais

Nature —Junto a Science, é um dos grupos de editoria científica mais conhecidos do mundo. Os artigos publicados em seus periódicos são considerados de grande relevância e quase sempre geram frissom na academia — https://www.nature.com/

  • Modernas

ArXiv — Um dos mais antigos repositórios desta lista: o serviço foi criado em 1991 e possui artigos e outros documentos relacionados à pesquisas científicas em acesso aberto. No ArXiv também é possível depositar artigos e trabalhos de própria autoria. — http://arxiv.org/

PLOS — Editora internacional sem fins lucrativos que publica revistas em acesso aberto. https://www.plos.org/

  • Inovadoras

FigShare — Repositório online que permite armazenar, compartilhar, buscar e gerenciar seus trabalhos na nuvem. É possível, por exemplo, controlar o compartilhamento dos dados e até a disponibilidade dos resultados ou de partes de sua pesquisa para o público que acessa o site. — http://figshare.com/

  • Experimentais

Winnower — O “The Winnower” é uma plataforma completa de publicação científica em acesso aberto que além de permitir a submissão de artigos, também permite a revisão por pares, a alteração das análises e ainda possui um sistema de análise de métricas de impacto bem interessante. — https://thewinnower.com/

Divulgação científica*

*Neste caso, o termo “divulgação científica” assume o significado de divulgação do conhecimento científico para cientistas e não-cientistas, ou seja, entre os pares e o público em geral.

  • Tradicionais

Plataforma Lattes — É a plataforma oficial de divulgação da produção científica brasileira. É possível pesquisar por áreas de pesquisa, instituições ou pelo nome do profissional. — https://lattes.cnpq.br

ResearcherID — Identificador único para pesquisadores mantido pela Thomson Reuters que distingue um pesquisador de outro e permite agregar suas publicações mediante cadastro prévio. http://www.researcherid.com/

Scopus Author ID — Possui o mesmo objetivo do ResearcherID, embora utilize outra base de dados para realizar o cruzamento de dados. Automaticamente inclui uma publicação ao identificador único de cada pesquisador. Não é necessário registro prévio para utilizar a plataforma. — https://www.scopus.com/freelookup/form/author.uri

  • Modernas

IR — Institutional Repository — Biblioteca digital de uma universidade, instituto ou centro de pesquisa que reúne sua produção intelectual (científica, acadêmica, artística e técnica) em acesso aberto. A lista de repositórios de acesso aberto pode ser consultada no endereço: http://repositories.webometrics.info/

  • Inovadoras

ResearchGate — É uma rede de pesquisa que tem recebido a atenção do meio acadêmico por permitir a fácil conexão entre pesquisadores e trabalhos científicos, tal qual uma rede social como o Facebook. É possível criar um perfil adicionando a sua formação, publicações e projetos de pesquisa, além de fazer perguntas e disponibilizar dados que podem ser avaliados por outros pesquisadores. — https://www.researchgate.net/home

ORCID — Identificador digital gratuito e único de pesquisador, que permite desambiguar autoria e fornece maior visibilidade à produção científica, sendo interoperável com outros identificadores como o ResearcherID e Scopus Author ID. É um dos identificadores mais utilizados no mundo e adotado por diversas instituições no Brasil e em outros países — http://orcid.org/

  • Experimentais

Kudos — Serviço gratuito e online que auxilia pesquisadores a ter maior visibilidade nas pesquisas. Desta forma, seus trabalhos tem maior probabilidade de serem lidos e citados por outros pesquisadores — https://www.growkudos.com

Avaliação e métricas de impacto

  • Tradicionais

Journal Impact Factor — JCR — Ferramenta analítica mantida pela Thomson Reuters que permite analisar e ranquear as revistas científicas de acordo com índice de citações, fator de impacto, imediaticidade, meia vida, entre outras métricas analíticas, com base em dados da Web of Science. Atualmente apresenta seus resultados por meio do InCites. https://jcr.incites.thomsonreuters.com/

Qualis Capes — Mantido pela Capes e integrante da Plataforma Sucupira, o Qualis avalia o ranking das revistas científicas no Brasil e no mundo, de modo a classificá-las a partir de seu fator de impacto, trabalhos citados, entre outros. É a classificação oficial adotada no Brasil em termos de fomento de projetos de pesquisa e até de evolução funcional de docentes do ensino superior. — https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/veiculoPublicacaoQualis/listaConsultaGeralPeriodicos.jsf

  • Modernas
  • Article-Level Metrics — Altmetrics — Avalia as métricas de um artigo ou outro trabalho científico a partir do acompanhamento de citações e do rastreio de um conjunto de fontes científicas (base de dados, periódicos, sites de publicações científicas) e não científicas (como o Facebook e o Twitter). — https://www.altmetric.com/

Source Normalized Impact per Paper SNIP — Mensura impacto contextualizado de citação com base no número total de citações em um campo de estudos, permitindo ao pesquisador selecionar periódicos de diferentes áreas temáticas com base em fator de impacto normalizado. http://www.journalmetrics.com/

  • Inovadoras

Peerage of Science — Serviço gratuito de revisão por pares e publicação de artigos científicos. https://www.peerageofscience.org/

  • Experimentais

Publons — Serviço gratuito lançado em 2012 que tem como objetivo registrar e creditar a revisão por pares de publicações acadêmicas. Além disso, é possível compartilhar e discutir os resultados de suas pesquisas antes de serem submetidos a um periódico para a publicação. — https://publons.com/

Pubpeer — Comunidade online para discussão aberta de resultados de pesquisa científica — https://pubpeer.com/

. . . . .

Para saber mais:

Mais do ccult.org

Mapeando as discussões sobre ciência no Twitter

Criada em 2017, a hashtag é um marco na comunicação na internet. A ideia é simples: marcar assuntos ou temas …

Periódicos científicos na palma de sua mão: aplicativos e sites para acessar e gerenciar artigos

Nos últimos anos, o acesso aos periódicos científicos tem sido facilitado pelo crescente acesso à internet e a parceria entre …

Feliz Dia Nacional da Ciência!

Em um dia como hoje, 8 de julho, era fundada a primeira entidade científica brasileira: a Sociedade Brasileira para o …

Divulgação científica contra as notícias falsas sobre o coronavírus

Uma das tarefas mais importantes da divulgação científica é a de informar corretamente os fatos científicos, especialmente quando eles ainda …

ccultcast dois: os artigos científicos

O segundo episódio do ccultcast está no ar! Neste episódio, discutimos a produção e o papel (sem trocadilhos, por favor!) …

A questão do plágio na ciência

Uma das piores infrações éticas que alguém pode cometer em uma pesquisa científica é o plágio. Em resumo, o plágio …

Scroll Up
Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0